O herói e o alcoolismo

Atualizado: 29 de ago. de 2019

A HQ Homem de Ferro – O demônio na garrafa é histórica em vários sentidos. Nela o Homem de Ferro instala o seu rádio FM na armadura – ha, ha, ha – o Tenente Rhodes ainda não é a máquina de guerra e o homem formiga recém-saído da cadeia é um empregado do Tony Stark, portanto não é um herói.


A trama é cheia de reviravoltas, o Homem de Ferro acredita que seus maiores inimigos são a Corporação Roxxon e o peso de ser Tony Stark.



No transcorrer da trama nosso amigo vermelho e dourado, entende que a Corporação Roxxon não é o seu principal inimigo e sim o alcoolismo.


O fio condutor da história não é a luta do bem contra o mal que vem de fora. A luta é do herói com ele mesmo, do homem contra a dependência. Ao trazer essa questão naquela época, David Michelinie roteirista da HQ, inovou porque o problema do uso abusivo do álcool não havia sido abordado tão explicitamente. O tema continua na ordem do dia e essa é uma das razões que fazem da história apesar de publicada em 1979, atual.


Você reconhece nas atitudes do Homem de Ferro algum dos critérios diagnósticos da organização Mundial da Saúde (OMS) para a Síndrome de Dependência a Substâncias Psicoativas (SPA)?

1. Forte desejo ou senso de compulsão para consumir a substância.

2. Dificuldades em controlar o comportamento de consumir a substância em termos de seu início, término e níveis de consumo.

3. Estado de abstinência fisiológico quando o uso da substância cessou ou foi reduzido.

4. Evidência de tolerância, de tal forma que doses crescentes são requeridas para alcançar efeitos originalmente produzidos por doses mais baixas.

5. Abandono progressivo de prazeres alternativos em favor do uso da substância psicoativa, aumento da quantidade de tempo necessária para se recuperar os danos.

6. Persistência no uso de substância, a despeito de evidência clara de consequências nocivas.